Indicador de Produtividade Pessoal – IPP

Muito se fala a respeito de trabalho em equipe, de times coesos e do quão importante é a sinergia entre as pessoas. Tudo isso em prol de manter a alta performance nos resultados. Neste contexto, é importante salientar que times são compostos de pessoas e estas, são parte do todo. Grandes times precisam de grandes executores de seus papeis individuais que, por sua vez, devem ter clareza das suas responsabilidades, caso contrário o time não se mantem no topo. Neste texto não vou abordar a questão liderança que, mesmo sendo fundamental, vou deixar para outro artigo e me ater apenas à questões individuais.

Na história do esporte temos grandes exemplos de como um time de alta performance depende de talentos individuais. Mas vou o que considero o maior deles. A maioria talvez concorde, além do mais, sou muito fã do cara por tudo que ele representou e representa aos brasileiros. Pra mim Ayrton Senna é o maior exemplo de alta performance que conheço. Senna não foi apenas um ídolo nas pistas, mas no seu cotidiano, era comprometido, interessado, meticuloso e dedicado aos seus propósitos.

No meu conceito, Ayrton Senna foi e sempre será a referencia quando o assunto é ser e fazer a diferença! Expressão do comprometimento com os próprios objetivos. Adiante vou abordar o assunto IPP em seis tópicos:

1. Organização pessoal

Na adversidade, uns desistem, enquanto outros batem recordes.

Saiba sempre o que deve ser feito a curtomédio e longo prazos. Planeje-se! Saiba o que deve ser executado. Isto vai te ajudar a organizar suas prioridades. Curto pode ser o seu dia ou semana; médio, pode ser uma quinzena ou mês; longo pode ser um trimestre, por exemplo. Cabe a você buscar a melhor métrica ou forma de se organizar. Mas tenha tudo anotado e definido em algum lugar, que não seja apenas a sua mente. Ela é volátil e pode te pregar peças. A organização é fundamental para não esquecer, misturar atividades ou perder prazos importantes. Os relatos são de que Ayrton Senna tinha seus métodos de organização buscar seus objetivos e um deles era a organização. Ele era reconhecido pelos companheiros com um perseguidor da perfeição em tudo que fazia.

2. Definição de prioridades

O brasileiro só aceita título se for de campeão. E eu sou brasileiro.

Como definir prioridades? Parece algo simples, mas muita gente se perde nisso. As vezes as atividades estão ligadas, encadeadas umas nas outras. Este é o primeiro passo! Saber quais são as dependências e qual a ordem de execução das mesmas. Sabendo disso, fica mais fácil definir o que é mais importante e o que pode ser deixada para o final da fila, tendo como base a criticidade, urgência e importância da atividade. Isso, na prática, é definição de prioridades. Para o Ayrton, estava claro que para conquistar suas vitórias, era necessário primeiro entender de cada detalha dos elementos que compunham as provas e conjunto de ações para se chegar ao lugar mais alto do pódio. Saber os detalhes do carro em relação ao traçado da pista, ajudar na preparação da equipe a e outros diversos detalhes, obedecendo as prioridades de cada passo.

3. Foco na solução, não no problema

Se você quer ser bem sucedido, precisa ter dedicação total, buscar seu último limite e dar o melhor de si.

Diante de situações críticas e problemáticas, muita gente, incluindo gestores, perde tempo olhando para o problema ou tentando achar os responsáveis. O famoso caça as bruxas! Neste caso, o mais sensato é resolver a situação e posteriormente investigar as causas (que também é importante, porém secundário). Minimizar o impacto é sempre mais crítico que qualquer outra ação. Isso se chama “definição de prioridade” – e agora você já tem uma noção de como isso pode ser feito – Diante de situações críticas, mesmo não sendo você o responsável por ele, busque apoiar na solução, ao invés da velha prática de apontar o dedo ou soltar comentários irônicos. Saiba que isso não ajuda e nem contribui em nada. Ao contrário, isso gera antipatia do time. Profissionais de alta performance não estão preocupados com criticas e também não criticam. São comprometidos com o resultado final. Senna era extremamente focado nos seus objetivos, em saber o que devia ser feito para alcança-los e se cada um fizesse a sua parte, tudo sairia perfeito!

4. Tempo de qualidade aos temas

No que diz respeito ao empenho, ao compromisso, ao esforço, à dedicação, não existe meio termo. Ou você faz uma coisa bem feita ou não faz.

Antes de iniciar, dedicar tempo ao entendimento das atividades é tão importante quanto executá-las. Ter atenção as ações de acordo com o que foi planejado, em função da priorização da importância do tema, reduz muito o retrabalho. É imprescindível a qualidade do tempo dedicado a este momento. Em reuniões, esteja presente, não só de corpo presente, mas por inteiro. Evite celulares, mensagens, notebook aberto (a menos que eles sejam instrumentos de apoio, é claro!). As vezes pecamos nos detalhes e, ao analisar os fatos, percebemos que o erro se deu por termos perdido um detalhe que faria toda a diferença no contexto geral. “Becão“, como Ayrton gostava de ser chamado na infância, dedicava 100% de si a entender seu carro, queria sentir-se parte dele.

5. Assertividade e agilidade nas ações

Quando penso que cheguei ao meu limite, descubro que tenho forças para ir além.

Neste aspecto, o conhecimento e a vivencia de um profissional mais experiente pode ajudar muito. Conte com quem entende mais do assunto e não pense que pedir ajuda é assumir fraquezas, pois não é! Apenas pessoas medíocres irão pensar isso sobre você. Pedir ajuda é um forte sinal de humildade. Outro ponto importante é o conhecimento. Estudar mais sobre o tema é um caminho óbvio, por isso esteja sempre em dia com os projetos aos quais está envolvido, assim as decisões serão mais assertivas e rápidas.

Resolva suas pendencias o quanto antes, não deixa para depois ou protele uma ação. Procrastinar é um péssimo habito e costuma derrubar profissionais altamente promissores e pode virar um vício. Como costumo dizer em referencia à frase de um amigo: “tire da frente”. Uma decisão ou ação não executadas são como alimentos mal digeridos, te incomodam até você por pra fora! Os resultados de Ayrton Senna nas pistas era fruto de muito estudo e assertividade nas decisões dele e da equipe. Basta lembrar de como ele assustava a todos ao decidir o tipo de pneu iria usar em certas condições, principalmente na chuva! Não era loucura, era sabedoria e conhecimento do assunto.

Conclusão

IPP não é apenas sobre indicadores do quão produtivo você é, mas é também uma forma de avaliar se você contribui significativamente com o time ao qual faz parte. Se faz a diferença dentro de um contexto de equipe.

É claro que não se resume a estes seis tópicos, existe muito mais a explorar. No entanto estes seis podem podem ajudar a iniciar uma auto-análise profissional, no sentido de buscar melhor se integrar e aumentar o nível de comprometimento com os grupos dos quais fazemos parte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *