CapEx vs OpEx e a relação com a TI

 
É muito comum em certas reuniões de negócio a utilização de termos que nem sempre são de conhecimento de todos. Por isso, antes de mais nada, se faz necessária uma breve explicação dos conceitos, para nivelar o entendimento dos leitores.

Praticamente tudo que é adquirido por uma empresa se resume a bens e serviços. Para o primeiro tipo, bens, a modalidade é CapEx. Para o segundo, serviços, normalmente é OpEx. Mas afinal o que significam estes acrônimos?

CapEx – Capital Expenditure

Em português, despesas de capital ou investimento em bens de capital, é a modalidade que representa o montante financeiro despendido na aquisição de ativos. Neste caso, tudo aquilo que é incorporado ao valor patrimonial da companhia. Vale ressaltar que estes bens podem e certamente vão, sofrer depreciação ao longo do tempo e em alguns casos, valorização.

OpEx – Operational Expenditure

Em português, despesas operacionais. Este modelo está ligado ao montante financeiro despendido diretamente com a operação. Representa tudo que é gasto no dia a dia para manter a empresa em funcionamento. A exemplo disto, são despesas relacionadas à folha de pagamento, terceirização, tributos e manutenções em geral, entre outros. Em alguns casos, o modelo opex pode oferecer deduções tributárias dos gastos (para mais detalhes, consulte seu contador).

E qual a relação disso com a TI?

A relação é íntima, uma vez que os gastos e investimentos em tecnologia vem crescendo exponencialmente para o cenário corporativo nos últimos anos. Foi publicado pela FGV-SP em 2016, o resultado da 27ª Pesquisa Anual do Uso de TI, onde consta que 7,6% do faturamento das empresas é destinado à TI. Não parece muito, mas repare que este percentual é relativo ao faturamento e não ao lucro líquido, além do expressivo crescimento dos últimos anos, apresentado no documento.

Então, esclarecidos os termos, como descobrir a melhor opção para aquisição de tecnologia?

A primeira coisa é analisar o TCO – Total Cost of Ownership (Custo Total de Propriedade). Ou seja, os custos diretos e indiretos para implantação e manutenção do projeto com um todo (hardware, software, mão-de-obra, serviços adicionais, renovações de garantias, energia, refrigeração, locações, entre outros custos). É necessário mencionar, inclusive, os custos cotidianos que já possam estar ocorrendo previamente, em função de algum serviço já instalado e neste caso deverá ocorrer um rateio. Despesas como estas, em quase todos os casos, ficam de fora. Mas isso é um erro! Afinal, o custo tende a subir quando a demanda aumenta.

Exemplo Prático

Para exemplificar, veja abaixo uma situação hipotética. Proposição de projeto fictício par solução de colaboração e produtividade da Microsoft em uma empresa de 250 funcionários. Navegue pelos slides a seguir usando o mouse ou touch.

Análise do Cenário

É importante ressaltar que em ambos os cenários, o serviço será basicamente o mesmo. As diferenças estão em como a empresa irá investir para ter disponível aquilo que necessita.

No cenário Opex, tudo seria contratado como serviço, portanto não haveriam investimentos em bens de capital. Consequentemente também não há gastos periódicos com manutenções, atualizações de softwares ou garantias de hardware.

Para o cenário Capex, no entanto, tudo seria adquirido como ativo. Sendo assim, além da empresa imobilizar parte do investimento, também sofreria com custos adicionais periódicos para manter o ambiente (que é categorizado com Opex – despesas de operação). Inevitavelmente, optando por este modelo, o projeto acabaria compondo um mix de ambos os modelos.

Conclusão

Percebe-se nos exemplos apresentados, a clara vantagem que o Opex tem em relação ao Capex, mas seria leviano afirmar que em todos os casos o primeiro modelo é o melhor. Apenas este exemplo não serve como base para conclusões. A ideia deste artigo é simplificar o conceito para efeito didático. Os itens e valores presentes nos cenários são apenas para referencia, pois cada empresa tem suas necessidades e particularidades específicas. Portanto é importante ter profissionais capacitados neste tipo de análise, para garantir a segurança e sucesso na escolha.

Próximos Passos

A identificação do modelo de aquisição ou tipo de contrato de software é o resultado de uma Consultoria de Contrato.

Para maiores informações, entre em contato
041 9 8834-7824
danilo.mesquita@webfocco.om.br

4.5/5 (2)

Por favor, me diga o quanto esta informação foi útil pra você.

2 comentários em “CapEx vs OpEx e a relação com a TI”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *