Tecnologias para o negócio: os desafios na escolha

Na realidade do ambiente corporativo, a tecnologia está tão arraigada ao negócio que é praticamente impossível se tratar qualquer iniciativa sem depender dos mínimos recursos de TI. Hoje em dia até os mais simples projetos corporativos dependem de algum recurso tecnológico para ter agilidade e sucesso. É a tecnologia trabalhando para o negócio. Então, quando se trata de iniciativas mais complexas, a relevância dassa relação se torna ainda maior. O desafio começa na identificação das reais necessidades do negócio, para que se possa determinar quais os recursos necessários para atender as demandas de negócio de forma eficiente. Ai vem e pergunta mais importante:

Mapeadas as necessidades, como endereçar a solução mais adequada?

Se formos analisar o contexto das empresas hoje em dia, não é difícil perceber algumas tendencias mais comuns. Normalmente a responsabilidade pela escolha de uma solução, desce pela cadeia hierárquica, chegando até os perfis mais técnicos que, em muitos casos, ficam com a tarefa de avaliar e validar as soluções. Até aqui não está se julgando o peso de certo ou errado, é apenas a constatação de uma tendência. Neste modelo, alguns profissionais conseguem fazer avaliações e escolhas mais satisfatórias que outros. Vide casos de empresas que optaram por soluções de ERP notoriamente reconhecidas pelo mercado, mas acabaram não conseguindo obter êxito na sua implantação. E isso ocorre por “n” fatores.

Assim é Grande Parte dos Casos

Em primeiro lugar, situações com estas podem ocorrer devido a escolha da solução acontecer por determinação da alta gestão – top-down, sem que sejam avaliados os aspectos técnicos. Existem também aqueles casos onde se optou pelo preço e não pelo valor agregado e, no fim, o projeto teve que ser ajustado para considerar a solução avaliada inicialmente como inviável financeiramente. Há outros casos onde se opta por soluções que já possuem algum tipo de relação com determinados profissionais ou com o ambiente de infraestrutura de TI. Ou seja, afinidade técnica. Nem sempre a presença de determinadas marcas ou fabricantes dentro de uma empresa assegura a continuidade do sucesso, quando estendidas a outros projetos.

São vários os casos em que empresas não obtiveram sucesso na escolha de uma solução e normalmente as deficiências só aparecem quando a solução tem contato pratico com à área de negócio e projeto já está bem avançado para se voltar atrás sem prejuízos.

Em resumo, as práticas mais comuns no mercado, independente do porte da empresa, são as escolhas de tecnologia considerando preço, determinação top-down ou por afinidade. Como já dito, não há certo ou errado, mas há boas práticas que sendo bem aplicadas, podem contribuir significativamente com o sucesso de qualquer projeto.

Mas como mitigar problemas deste tipo?

Será que existe um caminho “certo” na direção da melhor escolha?

Este artigo não tem a pretensão de dar a resposta certa para questões tão complexas. Mas o que se propõe aqui é uma reflexão sobre alguns pontos-chave que podem ser considerados, visando contornar problemas comuns.

Se analisarmos objetivamente, quais são os principais pontos a se considerar na escolha de uma solução?
Dados os direcionamentos de escolha mais comuns já mencionados, pode se dizer que temos três aspectos:

  1. dollar-collection-iconViabilidade Financeira: nenhum projeto que envolva investimentos em soluções de TI, poderá seguir em frente se não houver disponibilidade de recursos financeiros. A viabilidade de custos é essencial para o sucesso de qualquer projeto. Avaliar o orçamento disponível é o primeiro passo para seguir no processo de construção do plano de projeto. Identificados os valores disponíveis, fica mais fácil analisar soluções que possam caber no budget, sem comprometer a continuidade do mesmo.
  2. system-settings-iconViabilidade Tecnológica: ser agnóstico é um caminho importante na hora de escolher uma solução. Ao contrário do que muitos pensam, se despir de afinidades ou tendenciosismos pode contribuir com a indicação das soluções mais adequadas, uma vez que se abre um leque maior de opções, incluindo aquelas que antes poderiam ser ignoradas. Além da possibilidade de expansão do conhecimento. Nada impede, inclusive, que se chegue à conclusão que realmente a afinidade é importante em alguns casos.
  3. market-flow-icon_31850Aderência ao Negócio: tão importante quanto os pontos anteriores, considerar os impactos diretos e indiretos que uma solução de tecnologia pode gerar às partes interessas é de extrema importância. Todo projeto precisa de patrocinadores, pessoas importantes que vão influenciar e ajudar a promover o sucesso do pleito dentro da empresa. Compor um time multidisciplinar, onde todos possam opinar e apresentar suas considerações, fortalece a representatividade de um projeto junto a alta gestão. E isso, todos devem concordar que é meio caminho andado.

É necessário manter o equilíbrio entre estes três aspectos e, com isso, manter também o equilíbrio na relação custo x benefício. No entanto não há necessidade de se medir pesos quantitativos entre os três. É mais indicado chegar a uma conclusão avaliando os prós e contras de cada solução, baseando-se em nos aspectos apresentados para criar uma matriz qualitativa.

Conclusão

Não há verdade absoluta quando se trata da escolha de soluções de tecnologia. São muitos os fabricantes e as opções que cada um deles apresenta para as mais variadas aplicações no meio corporativo. Criar um modelo para chegar ao objetivo com menor custo e maior chance de sucesso é um bom começo para viabilizar projetos de TI. Principalmente aqueles que são puramente voltados ao negócio.

[ratings] Sem avaliação até o momento.

Por favor, me diga o quanto esta informação foi útil pra você.

1 comentário em “Tecnologias para o negócio: os desafios na escolha”

  1. Pingback:#BeepBeep: virtualização não importa a solução | Danilo Mesquita

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *